Temporada 2003

PAOLO PAOLI

de Arthur Adamov | encenação de Joaquim Benite

26 MARÇO a 20 ABRIL | SALA PRINCIPAL

Já não consigo gostar das peças (minhas ou de outros) que não se passam em parte nenhuma, escrevia Adamov em 1958, a propósito da estreia de Paolo Paoli. Dizia-se consciente da necessidade para o autor dramático de acabar com a exploração do meio-sonho e do velho conflito familiar… de sair do no man’s land pseudo-poético e de ousar chamar as coisas pelo seu nome.

Paolo Paoli situa-se na França da Belle Époque, nos anos que antecederam a Grande Guerra de 1914-18. Um pequeno-burguês anarquisante, comerciante de borboletas, um rico comerciante de plumas para chapéus, franco-mação anticlerical , e um abade monarquista e conservador, são as três personagens à volta das quais se desenvolve a acção. A guerra vista por um prisma diferente: o dos grandes negócios das pequenas coisas supérfluas. Arthur Adamov, de nacionalidade russa (19081970), Eugene Ionesco, romeno, e Samuel Beckett, irlandês, constituíram o trio de referência do chamado “Teatro do Absurdo” nascido na França dos anos 50 do século XX. Adamov desligou-se desta corrente, influenciado, designadamente pelo teatro de Brecht. Paolo Paoli é a peça que, na produção dramatúrgica do autor, assinala essa ruptura.

Actores
André Gomes, André Louro, Cátia Ribeiro, Francisco Costa, Maria Frade, Marques D’Arede, Teresa Gafeira

Tradução
Helena Barbas

Cenografia
Manuel Graça Dias e Egas José Vieira

Figurinos
Sonia Benite

SALA PRINCIPAL
26 MARÇO a 20 ABRIL
de quarta a sábado às 21.30h
domingos às 16.00h

mostrar mais

artigos relacionados

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker