36º Festival AlmadaEspectáculos estrangeiros

MARY SAID WHAT SHE SAID
Mary disse o que disse

Encenação, cenografia e desenho de luz de Robert Wilson
Interpretação de Isabelle Huppert
Texto de Darryl Pinckney e Música de Ludovico Einaudi

THÉÂTRE DE LA VILLE (Paris, França)
Co-produção: Wiener Festwochen (Viena, Áustria), Teatro della Toscana (Florença, Itália), International Theater Amsterdam (Amesterdão, Holanda), Thalia Theater (Hamburgo, Alemanha) | Parceria: EdM Productions
Co-apresentação: CCB/Festival de Almada | Apoio: Institut Français du Portugal

FIGURINOS
Jacques Reynaud
ENCENADOR ASSOCIADO
Charles Chemin
COLABORAÇÃO CENOGRAFIA
Annick Lavallée-Benny
COLABORAÇÃO DESENHO DE LUZ
Xavier Baron
COLABORAÇÃO FIGURINOS
Pascale Paume
APOIO AO MOVIMENTO
Fani Sarantari
DESENHO DE SOM
Nick Sagar
CRIAÇÃO CARACTERIZAÇÃO
Sylvie Cailler
CRIAÇÃO CABELOS
Jocelyne Milazzo
TRADUÇÃO DO INGLÊS
Fabrice Scott
EXECUÇÃO ADEREÇOS
Atelier Espace et Compagnie
EXECUÇÃO FIGURINOS
Atelier Caraco
EXECUÇÃO SAPATOS
Repetto

 

LÍNGUA:
Francês (legendado em Português)
DURAÇÃO:
1h20
CLASSIFICAÇÃO:
M/14

Uma história e uma personagem únicas enformam um espectáculo portentoso sobre as últimas horas de vida de Mary Stuart, Rainha da Escócia, que desafiou as forças da História e do destino, e foi por essa razão julgada no V erão, condenada no Outono e executada no Inverno de 1587, por ordem da sua prima, a Rainha Isabel I. Diz-se que os seus lábios ainda mexiam quando o carrasco exibiu a sua cabeça decepada.

Mais de dois séculos decorridos desde Maria Stuart de Schiller, o romancista e dramaturgo Darryl Pinckney (n. Indiana, 1953), autor, entre outros livros, de High Cotton e de Black Deutschland, desafiou-se a entrar na cabeça de uma rainha que está há dezanove anos num maquiavélico corredor da morte do século XVI. Robert Wilson (n. Texas, 1941), figura cimeira reconhecida por abordagens estéticas não convencionais ao teatro e à ópera, encenou Fausto, de Goethe, La Traviata, de Verdi, a Ópera dos Três Vinténs, de Brecht – ou ainda Quarteto, de Heiner Müller, e Orlando, de Virginia Wolf, estes contando com a interpretação de Isabelle Huppert (n. Paris, 1953). A actriz estudou teatro com Antoine V itez, fez cinema com Preminger, Chabrol, Godard, Haneke, teatro com Claude Régy e Luc Bondy, entre muitos outros grandes nomes. Ludovico Einaudi (n. Turim, Itália, 1955) é um compositor e pianista mundialmente reconhecido pela sua música de sonoridades oníricas que misturam de forma única sons ancestrais e vanguardistas.


Renowned director Robert Wilson, actress Isabelle Huppert and composer Ludovico Einaudi present a unique story by playwright Darryl Pinckney about the last hours of Mary Stuart, Queen of Scotland, who challenged the forces of history and was tried, convicted and executed within a few months in 1587. Her lips were still moving when the executioner exhibited her severed head, so the myth says.


LISBOA

Centro Cultural de Belém . Grande Auditório

SEX 12

SÁB 13

21h00

21h00


mostrar mais
Back to top button
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker