Pastéis de nata para Bach

Pastéis de nata para Bach

Música barroca, travessuras e pastéis de nata são os ingredientes de Pastéis de nata para Bach, uma peça que parte de uma pergunta para a qual dificilmente obteremos resposta: será que o compositor João Sebastião Bach alguma vez provou a famosa iguaria portuguesa cuja receita ainda se encontra guardada no segredo dos deuses? O texto de Pedro Proença e Teresa Gafeira abre-nos as portas da casa do compositor barroco alemão: Ana Madalena, a sua esposa, afadiga-se a tentar recriar a receita dos famosos pastéis de que Bach necessita absolutamente para poder trabalhar. Enquanto isso, os três filhos de ambos – o Guilherme, a Catarina e o João – envolvem o músico num torvelinho que torna impossível compor o que quer que seja. Valha-nos o cravo, o órgão, e o violino para trazer alguma ordem a este lar! E entre punhos de renda, perucas de época, ténis coloridos e coreografias desenfreadas, alguma música há-de ouvir-se. A de João Sebastião Bach, pois então.

dramaturgia de Pedro Proença e Teresa Gafeira
encenação de Duarte Guimarães

Intérpretes: André Alves, Anabela Ribeiro, João Farraia, Pedro Walter e Vera Santana
Cenografia e figurinos: Pedro Proença
Movimento: JPB
Som: Miguel Laureano
operação de luz e som: Paulo Horta

Produção: Companhia de Teatro de Almada

19 e 20 MAIO, 2018
Sábado às 16h | Domingo às 11h e às 16h
SALA EXPERIMENTAL | M/3 | DURAÇÃO: 50 MIN.

veja também

Verdi que te quero Verdi

Verdi que te quero Verdi

17 e 18 NOVEMBRO, 2018 | SALA EXPERIMENTAL