35º Festival AlmadaEspectáculos portugueses

MELODRAMAS DE HORROR

Textos de Gottfried August Bürger, Nikolas Lenau, Erik Satie, Johann Wolfgang von Goethe e Adolf von Pratobevera | Música de Franz Liszt, Erik Satie, Richard Wagner e Franz Schubert

VOZ:
Manuela de Freitas
PIANO:
Nuno Vieira de Almeida
TRADUÇÕES:
João Barrento
José Ribeiro da Fonte
Yvette Centeno

 

DURAÇÃO:
1h00 (aprox.)
CLASSIFICAÇÃO:
M/12

Opianista Nuno Vieira de Almeida junta-se à actriz Manuela de Freitas num recital de poesia alemã traduzida por Yvette Centeno, João Barrento e José Ribeiro da Fonte. O poema Lenora, de Bürger (1747-1794), é publicado em 1774 e produz um grande impacto ao inaugurar a balada gótica; Liszt (1811-1886) compõe o seu primeiro melodrama em 1858 sobre este texto e O monge triste, sobre um poema de Lenau (1802-1850), ambos com uma linguagem tonal francamente avançada. Os Embryons desséchés de Erik Satie (1866-1925), compostos em 1913, constituem no seu nonsense humorístico um bom antídoto contra estes “arrepiantes” melodramas. As Sete composições sobre o Fausto de Goethe, de que o melodrama Margarida na muralha faz parte, são de 1832: tinha Wagner (1813-1883) 19 anos. É a única peça para voz declamada e piano que escreveu. Singular é também o lugar que Despedida da terra ocupa na produção de Schubert (1797-1828).

Nuno Vieira de Almeida trabalha regularmente como pianista de lied. Áreas como as artes plásticas e o cinema também lhe são familiares, tendo assinado com o pintor Pedro Calapez os espectáculos Le travail du peintre e Viagem de Inverno, ou colaborado com Manoel de Oliveira em Vale Abraão.

Manuela de Freitas foi fundadora da Casa da Comédia, Os Bonecreiros e A Comuna. Trabalhou no teatro com alguns dos principais actores e encenadores portugueses e, no cinema, com realizadores como Manoel de Oliveira ou João César Monteiro.


The pianist Nuno Vieira de Almeida joins the actress Manuela de Freitas in a spoken voice and piano recital that praises romantic poetry (Bürger, Lenau, Goethe and Pratobevera) and music (Liszt, Wagner and Schubert). Embryons desséchés, by Erik Satie, is a kind of antidote to the melodramatic trait.


ALMADA

FÓRUM ROMEU CORREIA
Auditório Fernando Lopes-Graça

SÁB 14

DOM 15

15h00

19h00


(Lisboa / Portugal)

mostrar mais
Close
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker